Dores na Coluna: Diagnóstico Diferencial

Dores na Coluna: Diagnóstico Diferencial
FISIOTERAPIA
A dor de coluna é o sintoma mais comum que limita o trabalho, sendo uma das causas mais frequentes de consultas e hospitalização. Está associada a fatores individuais, como ganho de peso, má postura, fraqueza muscular, falta de condicionamento físico e ocupacional, como sobrecarga excessiva gerada por levantamento de peso e pela permanência prolongada na posição sentada. Geralmente o quadro sintomatológico pode ter origem discal, ligamentar, muscular, articular (facetária) ou neural.

O tratamento não deve ser direcionado apenas para o sintoma e sim para e estrutura que apresenta a disfunção, seja ela muscular, discal, ligamentar, etc. Entenda um pouco sobre cada uma e onde sua dor se enquadra:

Dores de origem discal: A dor é aguda e se manifesta principalmente quando o corpo está submetido às posturas de sobrecarga. Piora na posição sentada, melhora ao deitar. Piora na flexão do tronco, melhora na extensão. Piora ao tossir ou espirrar;

Dores de origem ligamentar: Geralmente ocorrem com a manutenção prolongada de uma posição (sentado, em pé, deitado, etc.). Também se manifesta ao final da amplitude de movimento.

Dores de origem neural: Geralmente é uma dor do tipo projetada, irradiada. Muitas vezes vem acompanhada de formigamento, perda de força e sensibilidade. É possível descrever o trajeto da dor.

Dores de origem muscular:
A dor aparece com a contração e estiramento do músculo em disfunção. O músculo torna-se mais sensível a palpação e aparentemente mais “rígido”.

Dores de origem articular (facetaria):
A dor é localizada e precisa; centrada sobre a vértebra acometida, aumentando com o movimento do corpo. Geralmente é uma dor pontual, piorando ao mobilizar (deslizar ou comprimir) a articulação em disfunção.

Estas foram apenas algumas dicas sobre possíveis causas de dores na coluna, não substituindo uma avaliação e tratamento especializado. Uma boa opção para o tratamento das dores de coluna é a Osteopatia, pois esta visa reequilibrar as estruturas musculoesqueléticas, restaurando as funções.

Romulo Bezerra de Oliveira
Graduado em Fisioterapia (UEPB); Pós-Graduado em Terapia Manual e Postural (CESUMAR/OMI); Pós-Graduado em Osteopatia (FCMMG/EBOM), Osteopata C.O. (EBOM); Quiroprata (IBRATES); Formações em Osteopatia Estrutural/Funcional e Craniana/Visceral (EBOM); Mulligan Concept (MTCA); Mobilização Neural (AMTI); Professor Convidado Pós-Graduações.
Seja um colunista
Sucesso! Recebemos Seu Cadastro.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

ARTIGOS RELACIONADOS