Manchas na pele (hipercromias): tipos e como tratar!

Manchas na pele (hipercromias): tipos e como tratar!
ESTETICA

As hipercromias cutâneas são desordens na pigmentação originadas por uma produção excessiva de melanina, que contrasta com regiões adjacentes, gerando diferença de tonalidade por concentração localizada de pigmentos.

Esse escurecimento pode ser resultado de fatores como:

  • exposição solar, radiação ultravioleta;
  • traumas na região (acne, picada de inseto, queimadura e peeling);
  • alguns medicamentos (anticoncepcionais, amiodarona e fluoxetina);
  • fatores hormonais (gravidez, hormônios da hipófise, estrogênios e da tireoide);
  • nutricionais: oligoelementos (zinco e cobre), adoçantes (ciclamato e sacarina);
  • deficiência de vitaminas A e C;
  • distúrbios orgânicos: hepatopatias (doenças do figado);
  • fator genético: envolvido em todo os estágios da melanogênese.

Entendo melhor o aparecimento da hipercromia

O pigmento responsável por dar cor a pele é chamado de melanina, uma molécula complexa, que tem como função também a fotoproteção, agindo como filtro solar absorvendo a radiação UV.

Já os melanócitos são as células responsáveis pela produção de melanina e representam cerca de 13% das células encontradas na epiderme. Estão presentes na epiderme, nos folículos pilosos e nos olhos.

A produção de melanina é chamada de melanogênese,  sendo que nesse processo o aminoácido tirosina na presença da enzima tirosinase dá origem à melanina, após complexas e numerosas reações químicas que ocorrem nos melanossomas (organela responsável pela síntese e deposição de melaninas).

Portanto, esse processo é caracterizado pela fabricação e distribuição das melaninas na epiderme e nos pelos.

A produção de melanina ocorre em três etapas:

  • a síntese da tirosinase, que se dá através da ação os ribossomos, do retículo endoplasmático e do complexo de Golgi;
  • a seguir, ocorre a formação dos melanossomas que surge a partir do complexo de Golgi;
  • e a terceira etapa é a produção de melanina no interior dos melanossomas.
Nesse processo são formados dois tipos de melanina: a eumelanina (marrom) e afeomelanina (pele clara), sendo que ambos os tipos são produzidos em todos os indivíduos, porém uma em maior quantidade, conferindo as mais diversas nuances no tom de pele.

Portanto, distúrbios nessa produção associados aos fatores desencadeantes levam ao aparecimento das manchas que podem ser classificadas em vários tipos.

Tipos de Hipercromias

  • Melasma ou Cloasma Gravídico: manchas acastanhadas, sendo simétricas e bilaterais no rosto (testa, têmporas e bochechas). Sua incidência é maior em mulheres e em pessoas de pele morena. Tem sido associada a fatores hormonais, uso de cosméticos, exposição a luz solar e herança familiar. Durante a gravidez é chamada de Cloasma, ocorrendo devido as mudanças hormonais desse período.
  • Hipercromias pós-inflamatórias: são manchas ocasionadas após um processo inflamatório como acne, picadas de inseto, uso de ácidos sem proteção solar, reações alérgicas, cicatrizes, pelos encravados, sendo mais frequentes em pessoas de pele morena e negra.
  • Efélides ou Sardas: caracterizado por manchas castanho-claras ou escuras (2-4 mm) que surgem dos 6 – 18 anos após exposição solar, disseminadas no rosto e nas partes descobertas do corpo. resultam do aumento de atividade dos melanócitos sem alteração no número. Não são malignas.
  • Melanose ou Lentigo Solar: manchas escuras, de coloração castanha à marrom em tom uniforme. Localizadas no dorso das mãos, na face, colo, braços e ombros por serem áreas que ficam muito expostas ao sol. São frequentes em pessoas de peles mais claras  e apresentam-se em adultos com mais de 50 anos, sendo raro seu aparecimento em pacientes abaixo dessa idade. O sol é o principal causador da melanose solar.
  • Melanoderma residual: são manchas marrons e de origem epidérmicasformadas principalmente pelo contato com substâncias fotossensibilizantes e subsequente exposição ao sol. Conhecidas popularmente como manchas de limão. São causadas por perfumes, frutas cítricas, plantas, medicamentos e substâncias presentes nos fotoprotetores químicos ( ex: PABA, Benzofenonas).
  • Hiperpigmentação periorbital (olheiras): ocorre na região periocular e é frequente em ambos os sexos. Ocorre devido ao aumento da melanina na epiderme, má vascularização da região e ainda por fatores genéticos (gene autossômico dominante). Outras causas são as noites mal dormidas, cansaço, alimentação inadequada, estresse físico ou emocional.

Tratamento das Hipercromias

Existem quatro vias principais para a produção de melanina: neurócrina, ação hormonal, atividade parácrina e ação inflamatória.

Portanto, o tratamento não é igual para todo tipo de hipercromia e pessoa, devem ser consideradas as várias vias de produção de melanina e, dependendo do tipo, fazer uso de terapias combinadas, obtendo os melhores resultados.

Visto isso, a melhor fórmula é feita através da combinação de ativos com mecanismos de ações diferentes, abrangendo assim todos os aspectos.

Alguns exemplos de ativos de uso tópico:

  • ácido azeláico: inibidor competitivo da conversão da testosterona em 5-alfa testosterona, inibição da tirosinase e inibidor competitivo das enzimas de oxi-redução, indicado em hiperpigmentação pós-inflamatória, como exemplo, a acne;
  • ácido retinoico: ação queratolítica potente, promove o “tornover” da epiderme, auxiliando na esfoliação efetiva e clareamento da pele;
  • Alfa-arbutin®: derivado da hidroquinona, com menos citotoxicidade, inibidor competitivo da tirosinase e de PAR-2 ( receptor de melanina nos queratinócitos);
  • Ascorbosilane Cassocia as propriedades cosméticas do ácido ascórbico (Vitamina C) à dos silanois. Diminui os radicais livres, reduz as manchas, tem efeito hidratante e estimula a síntese de colágeno;
  • Belides: ativo que atua sobre o efeito parácrino, inibindo endotelina tipo 1, responsável pela sinalização de uma célula para outra e estimula crescimento de dendritos (fato que aumenta melanócitos), além de também ser um antagonista do α -MSH (estimulante de produção de melanina);
  • Biowhite®:  complexo de origem vegetal, com ação anti-inflamatória, antirradicais livres e ação inibidora da tirosinase;
  • Hidroquinona: inibição potente e irreversível de tirosinase, induz modificações estruturais e degradação dos melanossomas. É citotóxico, fototóxico e sensibilizante; (existem alternativas muito mais seguras e eficazes atualmente);
  • Niacinamida: tem a capacidade de inibir a transferência de melanina dos melanócitos, para as camadas mais externas da pele.É importante citar que esse ingrediente não inibe a produção da melanina, mas impede que a sua dispersão  escureça áreas da epiderme. (obs: quando utilizada a 4%);
  • Sepiwhite™MSH: apresenta a finalidade de agir como antagonista do alfa-MSH, inibindo todas as cascatas de reações que levarão a formação de melanina;
  • Skin Whitening Complex ®: promove degradação da melanina, esfoliação e quelação do cobre (essencial para a atividade da tirosina), inibindo tirosinase e possui ainda ácido fítico também com ação clareadora.

Ativos de uso oral:

  • Oli-Ola: é um extrato 100% natural da oliva produzido por cultura orgânica, possui alta concentração de compostos fenólicos (hidroxitirosol) que além de possuírem alta capacidade antioxidante, é capaz de promover efeito peeling na pele, como os peelings químicos e físicos;
  • Romã Extrato Seco: contém 40% de ácido elágico, um polifenol com potente ação antioxidante, além de outros compostos;
  • Picnogenol: tem ação antioxidante e varredora de radicais livres. Recicla a vitamina C, regenera a vitamina E e também protege contra a radiação ultravioleta.

Exemplos de produtos no mercado:

 1) Blancy Gel Creme

Atua nas cinco etapas da cascata da melanogênese para a correção e prevenção das desordens pigmentares: reduzem a ação da enzima responsável pela formação da melanina, diminuem a produção da melanina, normalizam sua distribuição, controlam seu transporte para a superfície da pele e removem o acúmulo de melanina visível que ocasiona a mancha.

Princípios ativos: contém o Complexo M5, que associa:Spiwhite, Achromaxyl, Ácido Kójico e Alpha Arbutin.

2) Dual Clear Diurno Ada Tina – Clareador Facial – Fps 30 – 30ml

 Sua atuação é em 4 etapas do processo de produção de melanina.

Princípios ativos:

Alfa-arbutin , Tirosinase Inhibitor Factor, que inibe a enzima tirosinase presente nas etapas de formação da melanina; Endotelin-1 Inhibitor Factor, que inibe a enzima Endotelina-1, mensageira para produção de melanina; Lipo-Ascorbil, ativo que permite a penetrabilidade mais profunda na pele, prevenindo a pigmentação induzida pelos raios ultravioletas através de sua ação antioxidante; eAlfa bisabolol, clareador e calmante da pele.

Dual Clear FPS 30 Ada Tina possui também muito alta proteção solar, com bloqueio de 99,5% da radiação UVA, causadora das manchas, sendo produzido com Tinosorb M e Tinosorb S, que conferem alta proteção de amplo espectro contra os raios UVA e UVB; Uvinul-A Plus, que protege eficazmente contra a radiação UVA; e Pepha Protect, que garante a proteção do DNA. Indicado para peles com perda de luminosidade e que necessitam de proteção solar.

Livre de parabenos, livre de óleo mineral, livre de hidroquinona e Dermatologicamente Testado.

3) Kiaritá TheraSkin Gel Creme

Um gel creme que auxilia no clareamento de pele, estimula a renovação celular e possui propriedades calmantes da pele.

Princípios ativos:

Arbutin, Nicotinamida, Retinaldeído e Bisabolol.

Retinaldeído estimula a renovação celular e oBisabolol possui propriedades calmantes para a pele.

4) Luminance 20g

Combinação de ativos despigmentantes que atuam em todas as fases da formação da melanogênese, evitando a formação de novas manchas.

Princípios ativos:

Ácido Ferúlico: Poderoso antioxidante, capaz de inibir a formação de melanina, além de neutralizar os radicais livres gerados pelo sol, poluição ambiental, cigarros e estresse.

Antipollon HT: Ativo despigmentante de ação física promovendo adsorção da melanina já formada, proporcionando uniformidade no tom da pele.

Belides, Biowhite, Skin Whitening Complex.

5) Clarintense Biomarine Complexo Clareador Intensivo

É um complexo intensivo com FPS 18 que combate as desordens pigmentares da pele. Rico com agentes hidratantes e ativos clarificantes e despigmentantes, melhora a textura da pele através do estimulo á renovação celular. Ajuda a uniformizar a pele, pois possui um cuidado intensivo com manchas e perda de luminosidade.

Princípios Ativos:

Sepiwhite MSH, Ácido Kójico, Ácido Glicólico e Caviar. UVS 89% e PPD 9,1 / PA +++.

 Lembrando sempre também da importância do uso de protetor solar, mesmo em dias que não tenha sol, pois prevenir é a melhor forma de evitar as manchas provenientes da exposição solar!

E como foi dito: nem toda mancha é tratada da mesma forma, é preciso uma boa anamnese para descobrir a causa, o agente causador e, depois disso, escolher o tratamento adequado que proporcione sucesso no tratamento. 

Portanto, procure sempre a orientação de um profissional qualificado!


Referências bibliográficas

SOUZA, Valéria. Ativos Dermatológicos. Vol 1. São Paulo: Tecnopress, 2003.

BATISTUZZO, José Antonio de oliveira, ITAYA Masayuki, ETO Yukiko. Formulário Médico Farmacêutico. São Paulo: Pharmabooks, 2011. 4º Edição.

Aula Desenvolvimento de Produtos Despigmentantes (IPUPO) 2012 – Ministrada por Gustavo Dieamont (Farmacêutico, Gerente de Tecnologia e Inteligência no Grupo Boticário).

 

 

Wellington Guirado Paviani
Farmacêutico-Bioquímico, especialista em Farmácia Magistral, e especialista com MBA em Cosmetologia.
Seja um colunista
Sucesso! Recebemos Seu Cadastro.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

ARTIGOS RELACIONADOS